Guerrinha diz que vestiário do Inter está desconfiado da direção e cita três nomes para coordenador técnico

Cargo foi uma promessa de campanha do presidente Alessandro Barcellos e ainda não cumprida

O comentarista da rádio Gaúcha, Adroaldo Guerra Filho, fez uma análise nessa terça-feira (3) sobre o momento do vestiário do Internacional. De acordo com o comunicador, o futebol do Inter precisa de ex-atletas para ajudar no trato com os boleiros e menos interferência de engravatados. Ainda, citou três nomes que poderiam ser cogitados.

“O Inter não está precisando no momento de dirigente político em seu vestiário. Os jogadores estão desconfiados da parte diretiva do clube. Nesse momento tu precisa colocar no vestiário alguém que eles confiem”, disse.

“Quem seria o alguém? Seria um líder, um cara com título, com passagens pelo futebol, que seja amigo de jogadores, nós temos vários exemplos de pessoas que têm o vestiário nas mãos e acabam conquistando os resultados”, complementou.

Na sequência, Guerrinha sugeriu para o cargo de coordenador técnico três nomes com forte ligação com o clube: Bolívar, Clemer e Luiz Carlos Winck. O trio, no entanto, foca suas carreiras no momento como treinadores de futebol.

No início da gestão, os nomes de Pedrinho e Tinga foram procurados pela direção, mas não aceitaram a investida.

WHATSAPP

Mais notícias

1 De 1.171