Inter libera Netto e mantém modelo de negócio de sucesso

Clube vende, libera ou dispensa, mas mantém percentual dos direitos

O Inter tem utilizado um sistema de negócio que lucra com jogadores mesmo estes não mais em ação no Beira-Rio. Com o atacante Netto foi assim, o clube libera, rescinde ou vende, mas mantém percentual dos direitos econômicos.

O portal UOL lembrou casos que o Inter liberou ou rescindiu e manteve percentuais: Léo Ortiz no Red Bull Bragantino, Klaus, no Ceará, André Clóvis e Volnei, no Estoril, além de Geferson no CSKA e Artur no Vorskla.

Sobre vendas, o Inter detém percentuais de Charles, no Ceará, Erik, no Al Ain e Juan Alano, do Kashima Anthlers. Em nenhum dos casos o Colorado possui direitos federativos, apenas parte dos direitos econômicos.

Dois exemplos recentes podem explicar como o método de negócio do Inter vem aos poucos injetando receitas no clube. Maurides quando trocou o Belenenses pelo CSKA Sofia fez o Inter receber R$ 500 mil. O mesmo valor será depositado ao Colorado pelo negócio de Alex Santana, do Botafogo para o Ludogorets.

WHATSAPP

Mais notícias

1 De 3.732