Palco da estreia do Inter na Libertadores emocionou o mundo em solidariedade à Chapecoense

O Internacional estreia na Copa Libertadores da América às 21h de terça-feira (4), contra o Independiente Medellín, no estádio Atanasio Girardot. Palco da partida, o local ficou marcado por emocionar o mundo após o trágico acidente aéreo da Chapecoense.

Em 30 de novembro de 2016 o estádio lotou, data que aconteceria a partida de ida da final da Copa Sul-Americana. No horário que a bola iria rolar, acendeu-se velas em solidariedade, respeito e homenagem aos 71 mortos.

De acordo com a polícia colombiana, mais de cem mil pessoas participaram das homenagens. Com semblante de tristeza, a rivalidade da final ficou de lado e o povo colombiano, uniformizado de branco, se manifestou em faixas e cartazes.

“Uma nova família nasce”; “Futebol não tem fronteiras. Força a família, torcida e ao povo Chapecoense”; “Estamos contigo, Chape”; “Todos somos Chape”; “Equipe imortal. Campeões para sempre”; “Se foram como lendas”, diziam algumas manifestações.

Homenagem de torcedores do Nacional (Divulgação)

O exército da Colômbia entrou no gramado com bandeiras de todos os países que perderam pessoas no acidente, ao som dos hinos de Brasil e Colômbia. Os jogadores do Atlético Nacional foram para o campo sem chuteiras, mas com flores nas mãos. “Vamos vamos Chape”, era o coro uníssono no estádio.

O acidente
O avião que levava a delegação da Chapecoense e jornalistas caiu próximo a Medellín em 29 de novembro de 2016. De acordo com investigação da Aeronáutica Civil da Colômbia, a causa da queda foi insuficiência de combustível para o trajeto, que iniciou em Santa Cruz, na Bolívia. Sem combustível, o motor parou de funcionar e planou até bater.

Sete anos depois, o Internacional estará no Atanasio Girardot. Porém, desta vez o povo colombiano estará no local para apoiar seu time e não para se solidarizar na maior tragédia aérea de um time de futebol.

WHATSAPP

Mais notícias

1 De 3.743