Saravia lateral-esquerdo? Veja a resposta

Argentino está emprestado ao Inter pelo Porto até o fim de 2020

O lateral-direito do Internacional, Renzo Saravia, comentou nessa terça-feira (15) em entrevista coletiva virtual, que se sente bem também pelo lado esquerdo.

O questionamento se dá por conta da Libertadores, já que Moisés, titular da função, está suspenso por quatro partidas e não atua mais na fase de grupos da competição continental.

Outra situação em que Saravia teve de atuar pelo lado esquerdo ocorreu quando Uendel deixou o campo no empate com o Bahia. Rodinei entrou e o argentino foi deslocado para o lado canhoto.

“Já joguei em alguns momentos como lateral-esquerdo. É similar (à lateral direita), não tenho problemas em jogar em qualquer uma das laterais. Para ajudar a equipe, vou estar sempre à disposição para o que o treinador precisar”, afirmou.




Saravia se diz adaptado ao Beira-Rio. “Muito feliz com meu momento. Fui recebido muito bem no clube. Agradecido a toda torcida e aos meus companheiros pela forma que me receberam, isso fez eu me adaptar muito rápido”.

O argentino foi questionado sobre a contratação de Abel Hernández, centroavante uruguaio que desembarcou no Beira-Rio após a grave lesão de Guerrero.

“Estou contente com a chegada de Abel. Um jogador de trajetória importante, que jogou muitos anos na Europa. É importante ter um jogador com suas características, de ser um atacante alto, como é Galhardo e Guerrero. Ter uma referência é importante para os cruzamentos e para a hora da equipe descansar atrás. Com mais tempo vamos nos conhecendo mais.”




Foto: Ricardo Duarte /SCI
Saravia em ação pelo Inter (Foto: Ricardo Duarte /SCI)

Adversário do Inter na Libertadores, o América-COL participou de apenas duas partidas no pós-retomada do futebol. Saravia foi perguntado se a falta de ritmo de jogo dos colombianos será um fator positivo para o Colorado.

“Chegamos em igualdade de condições. Eles têm poucas partidas jogadas, mas nós fizemos um esforço grande, com partidas a cada dois dias e viagens. Portanto, estamos em igualdade de condições. Na Libertadores, as partidas são muito importantes e se definem por detalhes.”

Sobre os tropeços dos últimos jogos, quando o Inter perdeu para o Goiás e deixou escapar vitórias sobre Palmeiras e Bahia.

“Os últimos jogos não conseguimos a quantidade de pontos que queríamos e merecíamos. Brasileirão é difícil e as equipes são muito competitivas. Precisamos seguir trabalhando e seguir com a intensidade dos jogos anteriores. Mas estamos em primeiro. Mesmo mudando jogadores, se tem uma ideia clara de como jogamos. É um torneio longo e precisamos estar tranquilos para trabalhar.”

A entrevista na íntegra:

WHATSAPP

Mais notícias

1 De 3.732